foto-profilePessoas são mundos. Como neurocientista, pesquiso o comportamento humano e as forças invisíveis que moldam a forma como nós pensamos, agimos e nos relacionamos. Com o viés biopsicosocial da neurociência, trabalho na No One (empresa que aproxima organizações e pessoas por meio do design), traduzindo a pesquisa de comportamento para a realidade de cada negócio; e criando estratégias que ajudam a minimizar as dores das experiências humanas, aumentando o conforto emocional.

Desde 2012, aplico a neurociência nas pesquisas de comportamento dentro da indústria criativa. Para aumentar meu conhecimento sobre as influências do cérebro e sistema nervoso nas dimensões biopsicossocial, cultural e espiritual do comportamento humano, concluí o mestrado em Neurociência pela Escola de Medicina da Universidade de Pisa (Itália), Depto. de Patologia Cirúrgica, Médica e Molecular e Medicina Crítica, linha de pesquisa em práticas contemplativas. Segui pesquisando no PhD na Universidade de Lisboa (Portugal), com o projeto The First Manifestations of Consciousness in Humans (desenvolvimento da consciência em crianças, do período fetal até os 3 anos). O programa de doutorado foi descontinuado e, hoje, resido no Brasil.

icons_site 4Minhas últimas experiências profissionais incluem a Euromonitor, líder mundial em pesquisa de análise estratégica, participando de estudos qualitativos para empresas como Pfizer (saúde global), Walgreen (bem estar), Penguin (editora), Tiffany & Co (bens de luxo) e LEGO (brinquedos e jogos). Comecei a aplicar neurociência como pesquisadora social, sempre orientada pela neuroética e com métodos não-invasivos. Avalio respostas não-conscientes dos consumidores para ter uma visão profunda dos comportamentos, usando tecnologias como eletroencefalograma (registro da atividade do cérebro), fMRI e sistema de codificação facial. Trabalhei também na Dell, com experiência do usuário, e no Grupo RBS, com comunicação multimídia.

Simon Sinek acertou: “100% dos consumidores são pessoas. Se você não entende de pessoas, você não entende de negócios”. Existimos em um mundo que precisa se tornar mais socialmente justo e economicamente sustentável. Se você quer que o produto ou serviço que você está criando tenha mais chances de se adaptar (e sobreviver), pesquisar é a forma confiável de entender as pessoas que vão se beneficiar do seu trabalho.

Vamos trabalhar juntos? carol@noone.is | LinkedIn

O que você faz, faz diferença – e você precisa decidir que tipo de diferença você quer fazer.

Jane Goodall